Close

14 Agosto, 2019

Bananeiras colombianas infetadas com fungo R4T

Cerca de 175 hectares foram contaminados com o fungo R4T (fusarium oxysporum raça 4), que tem vindo a causar problemas nas plantações da América do Sul.

As bananas representam a terceira maior exportação agrícola da Colômbia, depois do café e das flores. Dada a sua importância elevada, o Instituto Nacional de Agricultura colombiano pediu aos agricultores um esforço para aumentar os controlos sanitários para conter a doença.

O fungo, popularmente conhecido como a doença do Panamá, pode permanecer no solo durante mais de 30 anos e ataca as raízes das bananeiras. Em 2016, a Colômbia expressou preocupação com a possível chegada do fungo por causa da migração ilegal de pessoas da Ásia e da África, além do declínio dos controlos sanitários na Venezuela.

Em declarações à Reuters, o diretor do instituto, Deyanira Barrero, afirma que a doença não irá afetar as exportações colombianas de banana, visto que o fungo não é prejudicial para o ser humano. Cerca de 168 hectares que estavam infetados com a doença, na província de La Guajira, já foram erradicados de forma preventiva e os especialistas avaliam agora novas opções de controlo.

A Colômbia é um dos principais exportadores de banana do mundo, depois do Equador, Costa Rica e Guatemala. Um dos seus principais importadores é a União Europeia.