Close

31 Janeiro, 2019

Incubadora de Base Rural de Guimarães pode integrar projeto “Mãos na Terra”

Parceria entre a Sol do Ave, Câmara de Guimarães e Desincoop. Anúncio decorreu em reunião do Conselho Consultivo.

incubadora

O projeto “Mãos na Terra” nasce de uma parceria entre a Sol do Ave, Associação para o Desenvolvimento Integrado do Vale do Ave, a Câmara Municipal de Guimarães e a Desincoop, e encontra-se numa fase de candidatura ao Programa Cidadãos Ativos, financiado pelos EE Grants e gerido pela Fundação Gulbenkian, em consórcio com a Fundação Bissaya Barreto.

O anúncio deste projeto decorreu na reunião do Conselho Consultivo da Incubadora de Base Rural de Guimarães (IBR Guimarães), esta terça-feira, 29 de janeiro.

«Estamos perante um projeto que visa potenciar a ideia de negócio nesta IBR e, ao mesmo tempo, contribuir para o objetivo de inclusão social», salientou a Vereadora da Câmara de Guimarães, Sofia Ferreira.

«O projeto apresentado pela Sol do Ave surge na sequência do desafio lançado pelo Presidente da Câmara, na última reunião deste Conselho Consultivo, no sentido dos seus membros apresentarem e promoverem iniciativas capazes de fazer com que esta Incubadora de Base Rural tenha esse fator da inclusão social», disse.

O objetivo desta parceria, segundo Marta Coutada, «visa capacitar e apoiar trajetórias favoráveis à empregabilidade e geração de rendimento económico através da atividade agrícola, com recurso a metodologias de emprego facilitadoras de reintegração de pessoas vulneráveis no mercado de trabalho e com base num modelo de reintegração social».

Na base do projeto “Mãos na Terra” estão alguns benefícios como a interação social entre os vários utentes e rentabilidade económica com as colheitas dos produtos, melhoria do bem-estar e saúde dos participantes, assim como a aprendizagem e treino com o objetivo de aquisição de novas competências para a integração no mercado de trabalho.

Nesta reunião do Conselho Consultivo foi apresentado o trabalho desenvolvido pela IBR Guimarães no segundo semestre de 2018, assim como a apresentação do planeamento para o primeiro semestre de 2019. Sofia Ferreira apontou «o caminho da sustentabilidade» como uma meta a seguir, lembrando os projetos como o Banco de Terras, Programa de Incubação e Elaboração do Programa de Negócios no âmbito da IBR Guimarães.